UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA

O IGES – Instituto de Gestão Social do Terceiro Setor, associação civil sem fins lucrativos com título de OSCIP, foi 31/01/2002 nascendo do reconhecimento da importância das Organizações da Sociedade Civil no processo de desenvolvimento sustentável, da mobilização em torno da cidadania e da inclusão social que vem estimulando a ampliação de iniciativas privadas com finalidade pública em todo país.

 

Na época, com a missão de “cuidar bem de quem cuida”, o principal objetivo do IGES era conceder suporte às instituições do terceiro setor, já tendo, além de capacitado dirigentes, auxiliado na constituição, certificação e regularização de inúmeras instituições, tornando-se referência em Gestão Social e Terceiro Setor para empresas e instituições que promovem investimentos sociais sustentáveis e que buscam o reconhecimento de empresa cidadã, de responsabilidade social e empresarial.

 

Tendo a última atividade neste âmbito sido realizada em parceria com o Município de Itapemirim, após capacitar e auxiliar na constituição, certificação e regularização simultânea de 10 (dez) associações, o IGES, a partir de 2008, após ter atuado com mais de uma centena de instituições agregando o empoderamento social e permitindo que diversas comunidades passassem a ter força legal para firmar parcerias com os Municípios, Estado e União, atingindo, com isto, seu objetivo naquele momento, passou a executar outros projetos sociais, dentre eles o Mamografia Express, onde, com um caminhão equipado com um mamógrafo, a Instituição levava à população mais carente, de forma gratuita, o exame de mamografia a fim de identificar, com mais rapidez, eventuais tumores mamários.

 

Muitas dessas pessoas deixavam de fazer o exame na rede pública de saúde por desconhecimento de sua importância, pela então demora no agendamento no sistema público ou mesmo por falta de recursos para custear sequer a alimentação, pois algumas prefeituras do interior do Estado do Espírito Santo até forneciam o transporte para Região Metropolitana a fim de realizar o exame, entretanto o cidadão sequer possuía recursos para pagar sua alimentação, deixando, por tal motivo, de executar o exame.

 

Mais de 5.000 (cinco mil) exames foram executados junto a diversos municípios dos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, e identificado, devido a tal ação, 46 (quarenta e seis) caso de câncer, pessoas que tiveram oportunidade de se tratarem e sobreviver ao câncer. Vidas foram salvas devidas ações praticadas pelo IGES.

 

Outras parcerias também foram firmadas com a União Federal e o Estado do Espírito Santo, em especial com a SEJUS, quando o IGES tomou conhecimento do que ocorria no interior da UNAED – Unidade de Atendimento ao Deficiente, vinculada ao IASES, sobre abrigados que lá se encontravam e sobre o precário tratamento que lhes era fornecido, onde pessoas portadoras de severas deficiências mentais e múltiplas, que sem terem cometido qualquer ato infracional, viviam em um ambiente prisional, alguns por mais de décadas.

 

Em novembro de 2011, o IGES firmou o Termo de Parceria nº 01/2011 com o IASES – Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo iniciando a gestão social de duas Residências Inclusivas, atendendo 16 pessoas portadoras de deficiências mentais e múltiplas dependentes de assistência para as atividades de autocuidado da vida diária advindas da UNAED - Unidade de Atendimento ao Deficiente.

 

No decorrer do ano de 2012, estando com o IGES com a gestão das Residências e a responsabilidade pelos abrigados, o IASES deixou de repassar os recursos por cerca de 100 (cem) dias, devido problemas internos da autarquia estadual, e, mesmo assim, os IGES continuou executando devidamente suas obrigações obtendo avaliações com notas de 97%; 98,44% e 100% no período.

 

O IGES garantiu aos residentes o melhor acolhimento possível, atingindo a meta de até 100% (cem por cento) de suas obrigações mesmo com a inobservância do cronograma de desembolso pelo IASES, com consideráveis atrasos nos repasses dos valores de cerca de 100 (cem) dias.

 

As atividades e rotinas realizadas nas Residências Inclusivas ao longo desses 6 (seis) anos são pautadas em valores e práticas que promovem a inclusão social, desenvolvem a autonomia e explorem a potencialidade dos residentes, respeitando a individualidade e considerando as singularidades de cada um.

 

O IGES acredita na importância da manutenção dos vínculos familiares daqueles que possuem parentes e promove o acompanhamento dos familiares dos residentes, promovendo visitas domiciliares com os abrigados, além do estreito contato também com os abrigados de outras residências inclusivas originadas da UNAED, uma vez que parte da história de vida dos residentes se construiu naquele local e com aquelas pessoas, reforçando a vivência e afetividade entre eles, lembrando que todos viveram juntos durante muitos anos, onde se estabeleceu um novo arranjo familiar.

 

Em janeiro de 2018, o IGES ampliou o atendimento ao público, por meio de Termo de Colaboração firmado com o Estado do Espírito Santo, por intermédio da SETADES - Secretaria de Trabalho, passando a gerir 6 (seis) Residências Inclusivas, ampliando o atendimento para 60 (sessenta) pessoas.

 

Tendo as residências atingido sua capacidade máxima de atendimento e diante das novas demandas apresentadas, houve nova ampliação dos serviços em janeiro de 2020, com a criação de mais 2 (duas) residências inclusivas, elevando a capacidade de atendimento para 80 (oitenta) residentes.

 

O IGES busca constantemente ampliar a execução de suas atividades, pois acredita que, somente com essa visão, estará efetivamente exercendo seus objetivos sociais, entretanto, para que isso possa se concretiza, é essencial o apoio da sociedade civil, motivo pelo qual o IGES convida você a conhecer nossa instituição e nossos trabalhos.

Av. Leitão da Silva, nº 1274-B, Santa Lúcia, Vitória/ES, CEP: 29056-184